A verdade do primeiro e-mail da história


Cansado de ver mentiras sendo publicadas sobre o sistema que ajudou a criar, o engenheiro Ray Tomlinson, conhecido por implementar o símbolo @ no seu, no meu, no email de qualquer ser terrestre, resolveu registrar sua própria versão dos fatos que levaram até a consolidação do correio eletrônico como o conhecemos hoje.

Sem mitos e sem falso glamour, confira os 5 fatos mais interessantes da criação do email, tirados do site de quem viu tudo por dentro: o criador. (Ou melhor, um dos criadores: essa história de que uma pessoa só desenvolve algo tão complexo já é a primeira desmistificação a ser levada em conta) 

Quando o e-mail foi inventado?

O primeiro email da História foi enviado em 1971. Mas até o fatídico dia chegar, muitos anos de pesquisa foram necessários. Ray Tomlinson era um engenheiro eletricista norte-americano recém-saído de um doutorado no MIT (Massachusetts Institute of Technology). Em 1967, uma empresa de Boston chamada BBN contratou o promissor engenheiro, que foi trabalhar nos projetos que acabaram definindo o que e como seria a internet. A tecnologia desenvolvida pela BBN ajudou a construir o software e o hardware da ARPANet, a avó da internet.

Um colega chegou a dizer para Ray não contar ao seu chefe o que ele descobrira, pois aquilo não estava no escopo de trabalho deles. O correio eletrônico já existia desde o início dos anos 60, o que Ray e sua equipe fizeram foi deixá-lo com a cara que ele tem hoje.

O que estava escrito no primeiro email?

Para o azar dos livros de História, nenhuma frase de efeito ou epifanias. Os primeiros emails foram apenas de teste, mensagens que Tom enviou para si mesmo, a partir de dois computadores literalmente lado a lado. O conteúdo ele diz não lembrar, mas que deve ter sido algo irrelevante, como QWERTYUIOP - a linha de letras da parte mais de cima do teclado - ou TESTING 1 2 3 4. O primeiro email enviado para terceiros foi destinado aos membros da equipe que estava desenvolvendo o sistema. O assunto não era nada de bombástico: apenas avisava que o email já existia e dava algumas instruções de como usá-lo. Talvez o grupo não tivesse noção que décadas mais tarde a comunicação do mundo todo dependeria daquilo. 

Por que o @ foi escolhido como símbolo?

Ray Tomlinson costuma dizer que o @ é a única preposição do teclado. Se a gente parar pra pensar, isso é, de fato, muito curioso. De todas as teclas que estão à sua frente nesse exato momento, apenas uma serve para ligar dois elementos de uma frase. Uma função bastante complexa pra um botãozinho tão pequeno. Isso porque o arroba em inglês significa at, expressão usada para designar o lugar em que a pessoa está. No caso, o nome do site em que sua caixa postal eletrônica se encontra. Tem outro detalhe muito importante: ninguém tem arroba no nome, então não existe o risco de confundir o que é nome e o que é servidor.

Foi o próprio Ray Tomlinson que inventou o símbolo?

Não! Ray não inventou a arroba. O símbolo era utilizado pelos falantes da língua inglesa há muito tempo, especialmente no comércio, indicando o preço das mercadorias: 10 camisas @ R$ 50,00. Mas não é exagero nenhum dizer que ele não só alterou para sempre o seu significado como o salvou da extinção, já que o símbolo estava para ser descartado dos protótipos de teclados durante a pré-história da computação.

E-mail ou Email?

Sinceramente, nunca paramos pra pensar sobre isso, mas o criador da brincadeira parece se incomodar bastante com o assunto. Ray fez questão de criar uma seção em seu site só para o tema. Então, é bom que fique registrado: 

“É hora de parar de colocar um hífen em email. Novas expressões em inglês costumam ser hifenizadas, mas quando a expressão se populariza, o hífen cai. O email existe há mais de 30 anos, não precisamos mais do hífen: ele é uma expressão arcaica.”

(Senhor Ray, não vai ficar bravo, mas a Academia Brasileira de Letras diz que, pelo menos em português, o correto é e-mail, com hífen e tudo)

Postar um comentário
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...